Loja no Instagram

O Instagram e o Facebook não são apenas redes sociais, mas sim uma opção de publicidade lucrativa e complementar ao Google Ads. Atualmente, o Instagram é a rede social mais influente e o Facebook a mais conhecida no mundo, com mais de 1,30 bilhões de usuários ativos (usuários ativos são as pessoas que usam o Facebook pelo menos uma vez por mês). E é claro que a estratégia seguinte utilizada pela rede social foi converter todas essas contas em público-alvo para as empresas, através dos anúncios no feed de notícias, na lateral da rede social e também no celular dos clientes. Agora, você sabia que essa alternativa pode complementar os resultados positivos para suas campanhas digitais? Leia o resto do texto e entenda.

Alcance e Especificidade

As duas maiores características destas redes são o alcance e a forma como ele filtra as pessoas em áreas de interesse. Vamos por partes, a primeira característica diz respeito à quantidade de usuários da rede social (1,30 bilhões), e ao fato de constantemente novas pessoas fazerem uma conta no nelas, e mesmo empresas importantes criarem uma página para investir nas ações relacionadas a essa rede social. Essa primeira característica é muito importante porque demonstra a força e confiabilidade do Instagram/Facebook enquanto local de investimento financeiro, afinal ninguém vai investir em algo que tende a perder relevância.

A segunda característica, especificidade, é a cereja do bolo, a habilidade que a distingue: as pessoas são agrupadas de acordo com suas preferências. Aliás, essa não é uma coisa banal como possa imaginar, mas sim uma característica que filtra todas as pessoas por grupos de interesse e as prepara para receberem ofertas do que elas procuram. A capacidade de filtrar os usuários, seja a partir do questionário do perfil próprio ou das páginas e grupos que a pessoa frequenta, faz com que a rede social tenha um pesado banco de dados em que estima as intenções de compras das pessoas que acessam o Facebook. E é justamente esse alcance e a capacidade de filtrar os clientes que a transforma em uma grande ferramenta de marketing disfarçada de rede social.

Preço e Negócios

Entendidos o poder e qualidades principais do Facebook, podemos entender que a migração para o campo da propaganda paga foi um passo muito natural para a expansão dos negócios da rede social. E, da mesma forma natural, a publicidade online, que antes rendia-se ao poder do Google, começou a migrar ao Facebook atraída pelos preços menores em segmentos de mercado. Quer dizer, a verba de publicidade que antes ia inteiramente para o Google, começou a ser redefinida para suportar investimentos também no Facebook. A estratégia de diversificar investimentos tem sempre o objetivo de alcançar o cliente novo ou fazer o retargeting focando o cliente que já conhece a marca, mas não usufrui de todos os serviços oferecidos.

Dessa forma, aliada à melhora do logaritmo que avalia a preferência dos usuários de Facebook, as propagandas estão ganhando o lugar na rede social e encontrando os clientes alvo das empresas e o resultado é que hoje, o Social Commerce (transações feitas pelas redes sociais) movimente hoje, no Brasil, cerca de R$ 100 milhões por ano, com expectativa de crescimento de mais de 10% ao ano.

Outras características também ajudam a explicar esse bom número: Atração de clientes em estágios iniciais de interesse no produto/serviço, pois, calculando os gastos com site e publicidade paga no Google, pequenas e médias empresas iniciantes estão optando por criar uma página no Facebook e fazer vendas pela rede social; Publicidade exibida de acordo com o contexto social do cliente, ou seja, anúncios bem focados, específicos, filtrados de acordo com os instrumentos sociais do Facebook; Pode-se escolher a posição do anúncio entre Feed de notícias do usuário, Feed de notícias do aparelho móvel e coluna à direita; etc.

Preço e capacitação

Junto com essas características, o principal: preço para concorrer com o Google. Atualmente, há uma profusão de empresas que utilizam as ferramentas de Google Adwords para publicidade online, o que automaticamente aumenta o valor por clique pago em cada palavra. Nesse meio entra o Facebook, com um custo menor por clique em determinados seguimentos. Mas apesar dessa diferença, o sistema dos dois é o mesmo: leilão por custo de lance. Ou seja, nos dois casos, a empresa estipula um valor máximo que deseja pagar e o Facebook ou Google comparam os lances (no Facebook as empresas escolhem os interesses dos clientes, no Google as empresas escolhem as palavras-chave), e dão mais espaço para quem der a melhor oferta.

Nos dois casos, entretanto, é primordial um acompanhamento diário das variações dos preços dos lances para cada palavra-chave ou grupo de interesse, é aí que entra a capacitação. A Exacta é uma das poucas empresas de Curitiba que também trabalha com propaganda paga no Facebook, e não só com estimativas de lances, mas com relatórios para mensurar os gastos e ganhos com essa nova ferramenta. O domínio das ferramentas do Facebook são primordiais para conquistar o sucesso publicitário nessa rede social.

Oferecemos consultoria in company ou individual. Para qualquer dúvida sobre o tema ou como alavancar seus negócios no Facebook, nós podemos lhe ajudar.

Navegadores e Sites

O navegador de internet do seu computador afeta primariamente a forma como o seu site é visualizado. A afirmação pode parecer estranha, pois, à primeira vista, todos os navegadores mais utilizados, Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Safari, parecem iguais, mas só parecem. O que torna a afirmação verídica é o fato de que os navegadores trabalham com renderização diferente de fontes, espaços, imagens e margens. Assim, cada navegador “lê” o código de um site e “traduz” de uma forma diferente e, quando a “tradução” não fica de acordo com o código do site, ele é mal exibido para o usuário. O problema fica um pouco maior quando consideramos o avanço do HTML 5, uma linguagem de programação relativamente  nova para construir sites, que incorpora mais elementos visuais e de textura ao site. Nesse texto vamos explicar como manter o seu navegador preparado para exibir corretamente o conteúdo do seu endereço eletrônico.

 

Mozilla Firefox

O Mozilla Firefox (ou somente Firefox), foi o primeiro grande concorrente do Internet Explorer, mas que continha uma grande diferença: o Firefox é um navegador de código aberto. Ou seja, o Firefox foi desenvolvido por centenas de colaboradores que queriam criar um navegador que utilizasse pouca memória do computador e que fosse rápido e eficaz. Assim, em 2004 surgiu a primeira versão do Firefox. A primeira vista, o navegador era considerado feito para programadores, pois eles conseguiam resolver quaisquer erros de exibição que houvessem e ainda adicionar funções que precisassem. Isso acontecia porque a maioria dos sites ainda não era bem executada no Firefox.

Mas esse entendimento modificou-se. Atualmente o Firefox consolidou-se como um navegador rápido e leve que recebe constantemente atualizações para incorporar novas linguagens de programações sites. Entretanto, as mesmas precauções para com o Internet Explorer devem ser tomadas: é indicado que o usuário tenha a versão mais recente (Firefox atualmente na versão 35), não utilize muitas barras de navegação (aquelas barras que ficam abaixo do endereço HTML do navegador), pois elas podem deixar a ferramenta lenta, atualize sua versão de Flashplayer ou Java (para exibição de vídeos ou animações).

Google Chrome

O Google Chrome foi uma ferramenta desenvolvida pela gigante Google com o intuito de agregar os outros serviços oferecidos ao usuário. Assim, a pessoa pode utilizar o Chrome, com atalho para o Gmail, entrar no Google Maps etc, tudo a partir do mesmo navegador. O navegador foi posto no mercado em 2008 e, pouco a pouco, foi ganhando um espaço sólido como uma alternativa ao Internet Explorer e o Firefox. Atualmente é o navegador mais utilizado pelos usuários da internet. Em termos de funcionalidade, o Chrome integrava as versões mais recentes de tecnologia para criar sites, não apresentava os travamentos do Explorer e era bem recebido por quem utilizada o Firefox. Assim, constantemente ele também sofre atualizações que deixam seu motor de renderização mais rápido para executar sites (atualmente na versão 40).

Safari

O Safari é um navegador desenvolvido pela Apple que funciona como navegador padrão para o sistema operacional Mac OS. Atualmente, o Safari é o quarto navegador mais utilizado no mundo com 8,39% dos usuários, o Google Chrome é o primeiro com 42,68%, seguido do Internet Explorer com 25,44% e do Mozilla Firefox com 20,01% do mercado. O Safari também tem uma versão para Windows que incorpora a mesma interface simples, típica aos produtos da Apple. Em termos de funcionalidade, em testes, tem um desempenho mais rápido que o Explorer e executas funções de Java Script mais rápido que o Firefox. O Safari está atualmente na versão 8, e é aconselhável que o usuário também mantenha-se com a versão mais recente do navegador.

As dicas principais para todos os navegadores são: ter sempre a versão mais recente, atualizar o Java Script, atualizar o Flash Player, não trabalhar com muitas barras de ferramentas de terceiros (aquelas barras que ficam abaixo do endereço HTML), e, principalmente, utilizar o cross-browse, ou seja, ter mais de um navegador na sua máquina para verificar a exibição de seu site.

Edge

O Edge é o navegador padrão que vem instalado em todos os computadores com o sistema operacional Windows desde o início de sua comercialização. Durante muito tempo, e para muitos usuários, ele foi o navegador principal utilizado e, por isso, os sites foram pensados levando em conta os códigos de exibição do Edge. Com uma linguagem forte e densa voltada para texto e poucas imagens, o navegador cumpria seu papel, entretanto, a partir da adição de outros elementos para construção de melhores sites (CSS, Flash, Java etc), alguns bugs (falhas) começaram a aparecer no navegador e passaram a afetar o desempenho dele. As seguintes falhas e resoluções, propostas pela Microsoft, são:

– O Edge não abre ou trava imediatamente após a abertura: Reinicie o computador, Instale as atualizações mais recentes, desligue e ligue o Edge;

– O Edge para, congela ou trava: Instale as atualizações mais recentes, execute a Solução de problemas de desempenho do Edge, desative a aceleração de hardware, desative complementos;

– As páginas não são exibidas corretamente ou aparecem em branco: Limpe o cache de navegação (arquivos temporários de Internet), abra a página no Modo de Exibição de Compatibilidade;