Navegadores e Sites

O navegador de internet do seu computador afeta primariamente a forma como o seu site é visualizado. A afirmação pode parecer estranha, pois, à primeira vista, todos os navegadores mais utilizados, Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Safari, parecem iguais, mas só parecem. O que torna a afirmação verídica é o fato de que os navegadores trabalham com renderização diferente de fontes, espaços, imagens e margens. Assim, cada navegador “lê” o código de um site e “traduz” de uma forma diferente e, quando a “tradução” não fica de acordo com o código do site, ele é mal exibido para o usuário. O problema fica um pouco maior quando consideramos o avanço do HTML 5, uma linguagem de programação relativamente  nova para construir sites, que incorpora mais elementos visuais e de textura ao site. Nesse texto vamos explicar como manter o seu navegador preparado para exibir corretamente o conteúdo do seu endereço eletrônico.

 

Mozilla Firefox

O Mozilla Firefox (ou somente Firefox), foi o primeiro grande concorrente do Internet Explorer, mas que continha uma grande diferença: o Firefox é um navegador de código aberto. Ou seja, o Firefox foi desenvolvido por centenas de colaboradores que queriam criar um navegador que utilizasse pouca memória do computador e que fosse rápido e eficaz. Assim, em 2004 surgiu a primeira versão do Firefox. A primeira vista, o navegador era considerado feito para programadores, pois eles conseguiam resolver quaisquer erros de exibição que houvessem e ainda adicionar funções que precisassem. Isso acontecia porque a maioria dos sites ainda não era bem executada no Firefox.

Mas esse entendimento modificou-se. Atualmente o Firefox consolidou-se como um navegador rápido e leve que recebe constantemente atualizações para incorporar novas linguagens de programações sites. Entretanto, as mesmas precauções para com o Internet Explorer devem ser tomadas: é indicado que o usuário tenha a versão mais recente (Firefox atualmente na versão 35), não utilize muitas barras de navegação (aquelas barras que ficam abaixo do endereço HTML do navegador), pois elas podem deixar a ferramenta lenta, atualize sua versão de Flashplayer ou Java (para exibição de vídeos ou animações).

Google Chrome

O Google Chrome foi uma ferramenta desenvolvida pela gigante Google com o intuito de agregar os outros serviços oferecidos ao usuário. Assim, a pessoa pode utilizar o Chrome, com atalho para o Gmail, entrar no Google Maps etc, tudo a partir do mesmo navegador. O navegador foi posto no mercado em 2008 e, pouco a pouco, foi ganhando um espaço sólido como uma alternativa ao Internet Explorer e o Firefox. Atualmente é o navegador mais utilizado pelos usuários da internet. Em termos de funcionalidade, o Chrome integrava as versões mais recentes de tecnologia para criar sites, não apresentava os travamentos do Explorer e era bem recebido por quem utilizada o Firefox. Assim, constantemente ele também sofre atualizações que deixam seu motor de renderização mais rápido para executar sites (atualmente na versão 40).

Safari

O Safari é um navegador desenvolvido pela Apple que funciona como navegador padrão para o sistema operacional Mac OS. Atualmente, o Safari é o quarto navegador mais utilizado no mundo com 8,39% dos usuários, o Google Chrome é o primeiro com 42,68%, seguido do Internet Explorer com 25,44% e do Mozilla Firefox com 20,01% do mercado. O Safari também tem uma versão para Windows que incorpora a mesma interface simples, típica aos produtos da Apple. Em termos de funcionalidade, em testes, tem um desempenho mais rápido que o Explorer e executas funções de Java Script mais rápido que o Firefox. O Safari está atualmente na versão 8, e é aconselhável que o usuário também mantenha-se com a versão mais recente do navegador.

As dicas principais para todos os navegadores são: ter sempre a versão mais recente, atualizar o Java Script, atualizar o Flash Player, não trabalhar com muitas barras de ferramentas de terceiros (aquelas barras que ficam abaixo do endereço HTML), e, principalmente, utilizar o cross-browse, ou seja, ter mais de um navegador na sua máquina para verificar a exibição de seu site.

Edge

O Edge é o navegador padrão que vem instalado em todos os computadores com o sistema operacional Windows desde o início de sua comercialização. Durante muito tempo, e para muitos usuários, ele foi o navegador principal utilizado e, por isso, os sites foram pensados levando em conta os códigos de exibição do Edge. Com uma linguagem forte e densa voltada para texto e poucas imagens, o navegador cumpria seu papel, entretanto, a partir da adição de outros elementos para construção de melhores sites (CSS, Flash, Java etc), alguns bugs (falhas) começaram a aparecer no navegador e passaram a afetar o desempenho dele. As seguintes falhas e resoluções, propostas pela Microsoft, são:

– O Edge não abre ou trava imediatamente após a abertura: Reinicie o computador, Instale as atualizações mais recentes, desligue e ligue o Edge;

– O Edge para, congela ou trava: Instale as atualizações mais recentes, execute a Solução de problemas de desempenho do Edge, desative a aceleração de hardware, desative complementos;

– As páginas não são exibidas corretamente ou aparecem em branco: Limpe o cache de navegação (arquivos temporários de Internet), abra a página no Modo de Exibição de Compatibilidade;

Antivirus

Antivirus

Desde que os computadores e a internet massificaram-se no planeta nasceram também formas maliciosas de corromper o seu computador, roubar suas senhas e criar um infortúnio na sua vida online. Entretanto, há estratégias que podem ser utilizadas para minimizar ou zerar as suas perdas – e tudo passa por uma regra fundamental: atualização. Para se manter protegido na internet é fundamental que você tenha o seu computador e seu conhecimento atualizados com as novas técnicas de segurança utilizadas. Essa é a função desse artigo.

Para proteger o seu computador, tenha em mente um sistema com quatro pilares principais: a sua máquina, o seu navegador na internet, o seu e-mail, e você, o usuário. Para cada uma delas há etapas de proteção específicas. Vamos começar.

A sua máquina

Um computador protegido deve estar sempre atualizado, então as principais dicas giram em torno de uma upgrade no seu sistema.

– Atualize a sua máquina para a versão do sistema mais nova possível. Em todo computador há a opção de atualizar o sistema, então faça isso e proteja seus arquivos;

– Tenha um antivírus eficiente. Dependendo do uso que o seu computador tenha, é recomendado passar o antivírus em toda a máquina pelo menos uma vez por semana. Então escolha uma noite e deixe o antivírus fazer o trabalho dele. E aliás, também mantenha o seu programa atualizado, pois mesmo as opções grátis de antivírus oferecem ótima proteção para a sua máquina;

– Tenha cuidado na hora de utilizar pen drives, pois há vírus que infectam essas ferramentas para depois se instalarem nos computadores rapidamente. Assim, ao colocar esses instrumentos, primeiro passe o antivírus com o pen drive acoplado e só depois utilize ele;

O navegador de internet

A forma como você acessa a Internet influencia altamente a infecção na sua máquina, afinal todos os vírus estão na rede e é principalmente através de navegadores que eles chegam até você.

– Atualmente todos os navegadores contam com ferramentas que denunciam atividades suspeitas na rede, então utilize isso como um alerta ao acessar determinados sites;

– Utilize um bloqueador de pop-up para impedir atividades suspeitas na sua navegação. Pop-ups são aquelas janelas desconfortáveis que surgem na tela quando você navega em determinados sites. Na maioria das vezes são propagandas, mas em outras eles acionam funções ocultas que podem infectar a sua máquina;

– Tenha cuidado com sites de bancos. Ao utilizar seu navegador para entrar no site do seu banco, saiba corretamente o endereço e verifique se há um cadeado no canto esquerdo inferior (ou superior, dependendo do navegador) da tela. Esse cadeado dá a certeza que o site é autêntico, pois é comum clonarem-se sites de bancos e o usuário acaba colocando seus dados em sites falsos sem perceber;

– Evite ver vídeos em sites desconhecidos. Sites que oferecem conteúdo de vídeo gratuitos (principalmente para filmes e séries), podem espalhar malware através do streaming onde o vídeo está hospedado. Assim, você pensa que está aguardando uns minutos para o vídeo carregar, mas na verdade está ganhando um grande problema;

– Não armazene senhas no seu navegador. Embora muitos navegadores deem a opção de gravar automaticamente suas senhas, não forneça. Dados armazenados em navegadores podem ser alvos de ataques de vírus que copiam esses códigos e repassam para quem os criou;

O e-mail

O seu e-mail é a segunda forma (em alguns casos é a principal) que o seu computador recebe dados da internet. Assim, é primordial ter cuidado com anexos desconhecidos e links para endereços externos que transmitem incerteza.

– Não abra anexos de emails a menos que você os esteja esperando. Os anexos de e-mail são a forma mais utilizada pelos hackers de tentar infiltrar malwares na sua máquina. Assim, desconfie dos anexos que chegam de destinatários desconhecidos e não abra os links para endereços externos se eles não forem seguros;

– Tenha cuidado com e-mails de bancos, Receita Federal e órgãos públicos, pois geralmente eles não enviam e-mails para os usuários. É comum o usuário se surpreender com esses e-mails e clicar para ter mais informações, então, na dúvida, contate seu banco ou órgão público antes de abrir esse material.

O usuário

– Mantenha-se sempre atualizado contra as novas formas de infecção;

– Ao utilizar computadores públicos ou lan houses tenha cuidado ao fornecer senhas e limpe seu histórico de navegação;

– Tenha sempre um bom antivírus instalado no computador e utilize-o periodicamente;

– E principalmente: utilize a prudência ao acessar sites duvidosos ou determinados conteúdos que parecem fáceis de conseguir. Não faça o download de programas duvidosos e sempre passe o antivírus mesmo nos anexos de seu e-mail.

Com essas dicas o usuário de computadores pode se proteger ao acessar a internet e impedir que seus dados pessoais sejam roubados por hackers. Redobre os cuidados se você possui em seu computador dados de contas bancárias, logins e senhas para sites, ou qualquer termos de acessos para conteúdo privado. É máster utilizar a prudência ao navegar na internet e mantenha-se sempre atualizado para que o mundo virtual não ameace o bem estar do seu mundo real.